Páginas

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Lazarus - Acessando banco de dados com SQLdb - Parte II

Form de Cliente

No DataModule já deve ter uma TSQLQuery e um TDataSource devidamente configurados para acesso à tabela Cliente. Vamos então inserir um novo form no programa definindo Name como frmCliente, Caption como Clientes. Mande salvar e informe u_cliente no nome da unit. Acesse o editor de código referente a esse form e abaixo de Implementation, para permitir que a unit u_cliente tenha acesso aos objetos do DataModule, digite:

uses u_dmdados;

Volte ao form e inclua um TPanel da mesma forma que foi feito para o form de Cidade. Selecione um TDBNavigator da aba Data Controls e coloque sobre o painel. Defina a propriedade DataSource como dsCliente. Insira um TSpeedButton da aba Additional no painel e o configure semelhante ao que fizemos no form de Cidade, inclusive definindo o código do evento OnClick para fechar o form. O form de Cliente deverá ter essa aparência:


Coloque dois TDBedit no form, o primeiro deve ter Name definido como edIdCliente, DataSource como dsCliente e DataField como ID_CLIENTE. No segundo defina Name como edNome, DataSource como dsCliente e DataField como NOME. Coloque dois TLabel para identificar esse campos e defina os Caption de acordo com a figura anterior.
O componente TDBLookupComboBox é usado para que, no caso de uma chave estrangeira (ID_CIDADE na tabela Cliente), o usuário possa escolher o registro na tabela referenciada (Cidade). Neste componente os dados da tabela referenciada são mostrados em uma lista. Pegue então um componente desses na aba Data Controls e coloque no form abaixo do segundo TDBEdit. Defina Name como dblIdCidade, DataSource como dsCliente e DataField como ID_CIDADE. Para definir a lista primeiramente defina a propriedade ListSource como dsCidade, na propriedade ListField (campo que será visualizado na lista) defina NOME e KeyField (campo chave) defina como ID_CIDADE. Existe ainda a propriedade Sorted que define se a lista estará ordenada e Style que define o comportamento do controle. Deixe Sorted como True e Style como dsDropDownList (o usuário não poderá digitar no controle, apenas selecionar da lista). Coloque um TLabel para identificar este campo.
Coloque mais um TDBEdit abaixo do LookupComboBox. Defina Name como edTelefone, DataSource como dsCliente e DataField como TELEFONE. Coloque um TLabel para fazer a identificação do campo.
O campo TIPO da tabela Cliente é usado para informar se o cliente é pessoa física - representado pela letra F - ou pessoa jurídica - representado pela letra J. Para este controle vamos usar um TDBRadioGroup, que permite que sejam definidas opções para serem selecionadas. Pegue um componente desses e o coloque no form. Defina a propriedade Caption como Tipo e Name como rgTipo. DataSource será dsCliente e DataField será TIPO. Clique no botão da propriedade Items. Será aberta uma janela com o editor de strings. Digite Pessoa física na primeira linha e Pessoa jurídica na segunda e pressione OK. Na propriedade Columns digite 2 para que as opções apareçam em linha. Clique no botão da propriedade Values - onde estão os valores correspondentes às opções definidas em Items. Digite F na primeria linha e J na segunda. Desta forma quando for selecionada a opção Pessoa física será gravado F no banco de dados, e J caso contrário. Redimensione o componente adequadamente.
Finalmente coloque um TDBCheckBox no form. Defina Caption como Ativo e Name como chxStatus. DataSource é definido como dsCliente e em DataField digite STATUS. As propriedades ValueChecked e ValueUnchecked são usadas para definir o que será gravado no campo quando o componente estiver marcado ou não marcado. Como nosso campo no banco de dados é boolean, não é necessário alterar nada.
Para programar a abertura e o fechamento da Query faça de forma análoga ao que foi feito no form de Cidade. Escreva os códigos correspondentes nos eventos OnShow e OnClose de frmCliente.
Mude para o DataModule e selecione queCliente. Selecione a aba Eventos do Inspetor de objetos e dê um duplo clique ao lado do evento AfterPost. Digite o código como na figura:



Note que esse código é ligeiramente diferente do que fizemos para queCidade. Em vez de usarmos CommitRetaining, agora usamos Commit. Commit fecha todas as tabelas abertas, por isso a Query é aberta na linha 68. Na linha 63 guardamos as chave primária do registro atual na variável chave. E depois que a Query é aberta, usamos Locate para localizar o registro correspondente à variável chave. Esta é outra forma de fazer o COMMIT na transação.
Localize o evento AfterDelete da Query. Clique no botão da caixa à direita para selecionar um método existente. Selecione queClienteAfterPost para que a transação seja encerrada da mesma forma quando um registro for excluído.
Agora vamos ao form principal. Na linha uses abaixo de Implementation acrescente u_cliente para que ela fique assim:

uses u_cidade, u_cliente;

Clique no menu Cadastros -> Clientes e no código do evento OnClick digite:

frmCliente.Show;

Execute o programa e chame o form de Cliente para fazer os testes.


Consultas

O próximo passo do desenvolvimento será criar as telas de consulta às tabelas Cidade e Cliente. Neste artigo mostraremos a criação da consulta de cidades. Supomos que a consulta de clientes é análoga e não haverá dificuldade em criá-la.
Para iniciar vamos ao DataModule inserir dois componentes necessários: um TSQLQuery e um TDataSource. Na Query mude Name para queConsCidade. Na propriedade Database selecione dbCliente. Certifique-se que a propriedade Transaction está corretamente definida como trGeral. No TDataSource mude Name para dsConsCidade e DataSet para queConsCidade.
Uma interface de consulta é necessária, portanto deve-se inserir um novo form. Defina Name como frmConsCidade e Caption como Consulta de cidades. Salve e digite u_conscidade no nome da unit.
A consulta irá oferecer duas opções de consulta - pela chave primária ou por parte do nome. Então insira um TRadioGroup da aba Standard. Defina Caption como Campo. Na propriedade Items inclua as linhas Código e Nome. Na propriedade Name digite rgCampo. Redimensione o componente adequadamente.


Observe a figura acima para orientar o seu desenho. Inclua um TEdit da aba Standard. Defina Name como edDado e delete o conteúdo da propriedade Text.
Coloque um TLabel para identificar o campo. Defina Caption como Dado a consultar.
Insira um TButton. Defina Name btnConsultar. Localize o componente TDBGrid na aba Data Controls. Insira um no form. Defina sua propriedade Name com dbgDados. Abra o editor de código e digite abaixo de Implementation:

uses u_dmdados;

Volte ao form e na propriedade DataSource da TDBGrid selecione dsConsCidade. Dê um duplo clique no botão btnConsultar e digite o código:

 

Analisando o código:
linha 39 - define que propriedades e métodos sem referência a um objeto são considerados como sendo de queConsCidade.
linha 41 - fecha a Query.
linha 42 - limpa o conteúdo da propriedade SQL.
linha 43 - verifica que campo foi selecionado no RadioGroup.
linhas 45 e 46 - definem um comando SELECT para buscar linhas na tabela pela chave primária. pIdCidade é um parâmetro definido na linha 46.
linhas 50 e 51 - definem um comando SELECT para buscar linhas na tabela por parte do nome da cidade.
linha 53 - abre a Query.

Mude para o form principal. No editor de código inclua a unit u_conscidade na linha uses abaixo de Implementation. Clique na opção Consultas -> Cidades. Digite o código:

frmConsCidade.Show;

Execute o programa e faça testes de consulta. Falta validar edDado para que aceite apenas dígitos numéricos quando a consulta for direcionada para o campo chave. Deixamos essa tarefa e a criação da consulta de clientes como um exercício.

Baixe aqui o código completo do programa.

Algumas considerações

Durante a criação dessa pequena aplicação encontramos dificuldade em achar relatos de experiências usando os componentes SQLdb. Já utilizamos outros componentes tanto em Lazarus quando no Delphi e sentimos algumas dificuldades principalmente no que diz respeito ao controle de transações. SQLdb só permite um objeto SQLTransaction na aplicação. Isso torna-se um obstáculo quando é necessário abrir mais de um form simultaneamente, pois quando fechamos uma transação todas as tabelas são fechadas. Outra dificuldade refere-se ao ponteiro TBookmark. Antes de encerrar uma transação guardamos o ponteiro do registro atual. Após encerrar a transação, quando o método GotoBookmark() é chamado para posicionar o registro no ponteiro salvo anteriormente ocorre uma exceção. Vale observar que chamar o GotoBookmark() antes de encerrar a transação funciona normalmente. Por esses motivos nos próximos artigos usaremos os componentes ZeosLib.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Lazarus - Acessando banco de dados com SQLdb - Parte I

Para fazer nossa primeira aplicação usando banco de dados no Lazarus vamos usar o SQLite e o conjunto de componentes nativo SQLdb. Inicialmente vamos apresentar passo como essa aplicação foi criada. Essa foi a maneira que eu fiz, e eu agradeço sugestões e questionamentos que pessoas que já passaram por essa experiência. Depois irei fazer algumas considerações sobre o uso do SQLdb.

SQLite

SQLite é uma biblioteca que implementa um motor de banco de dados SQL. É livre para qualquer finalidade, seja uso particular ou comercial. Lê e escreve em um único arquivo que pode ter além de tabelas, índices, gatilhos e visões. Executa em várias plataformas e é indicado para aplicações embarcadas. Maiores detalhes podem ser encontrados no site oficial. Para usá-lo, baixe-o do site e faça a instalação adequada para o seu sistema operacional. No Windows isso é muito simples, apenas copie sqlite3.dll para o system32 da pasta do sistema operacional.
Existe uma ferramenta de linha de comando chamada sqlite3 que podemos usar para criar o banco de dados e as tabelas. Pode ser baixada no próprio site oficial do SQLite. Depois de instaladas a dll e a ferramenta de criação do banco execute-a digitando o seguinte comando no console do sistema operacional:

sqlite3 banco.db

Se o banco já existir ele será aberto para operações como criar/alterar tabelas e consultar/inserir/atualizar/deletar dados nas tabelas existentes. Depois disso digite os comandos SQL para a criação de duas tabelas necessárias para nossa aplicação:

create table cidade (id_cidade integer primary key, nome varchar(30));
create table cliente (id_cliente integer primary key, nome varchar(40), endereco varchar(40), id_cidade integer, telefone varchar(14), tipo char(1), status boolean);

Feito isso digite .quit para sair e voltemos ao nosso IDE.

SQLdb

Esse é o pacote para acessar bancos de dados no Lazarus. Você o encontra na aba SQLdb. Algumas informações estão em http://wiki.freepascal.org/SQLdb_Package. Com esse pacote podemos conectar ao PostgreSQL, Oracle, MySQL, Firebird, SQLite e ODBC. Para cada um desses existe um componente TXXXConnection. Para conectar ao Firebird, por exemplo, existe o componente TIBConnection. Para executar as operações sobre tabelas temos o TSQLQuery e o TSQLTransaction. A seguir iremos criar a aplicação e mostraremos como utilizar esses componentes.

A aplicação exemplo

Vamos então iniciar o Lazarus e criar uma nova aplicação. No primeiro form crie um menu com a seguinte estrutura. Se for necessário leia o artigo sobre criação de menus em http://professorcarlos.blogspot.com/2010/01/lazarus-criando-menus.html:

Arquivo
    Sair
Cadastros
    Cidade
    Cliente
Consultas
    Cidade
    Cliente

Mude a propriedade Name desse form para frmPrincipal. Mande salvar tudo. Escolha u_principal para nome da unit e Clientes para nome do projeto.
É fortemente aconselhado que os componentes de conexão e acesso ao banco de dados estejam agrupados em um repositório denominado DataModule. Para criar um DataModule no Lazarus selecione o menu Arquivo -> Novo. Selecione Data Module abaixo do grupo Módulo e pressione o botão OK. Mude a propriedade Name para dmDados, mande salvar e dê o nome u_dmdados para esta unit.
Agora selecione a aba de componentes SQLdb e coloque um TSQLite3Connection no DataModule. Na propriedade DatabaseName informe o nome do arquivo do banco de dados com o caminho. Mude a propriedade Name para dbCliente. Neste momento podemos mudar a propriedade Connected para True. Se nenhum erro acontecer o componente de conexão está corretamente configurado. Volte a propriedade Connected para False. Coloque um componente TSQLTransaction no DataModule. Na propriedade Database selecione dbCliente e em Name digite trGeral. Retorne ao SQLite3Connection e selecione trGeral na propriedade Transaction. TSQLTransaction é o componente que controla as transações no banco de dados. Em um banco de dados as operações ocorrem no contexto de uma transação. Uma transação finaliza com sucesso através de um COMMIT e ROLLBACK desfaz as operações realizadas anteriormente.
Selecione um TSQLQuery e coloque no DataModule. Na propriedade Database selecione dbCliente. Na propriedade Name digite queCidade e em SQL informe select * from cidade. Na propriedade Transaction defina trGeral. Agora localize a aba Data Access. Selecione um componente TDataSource e coloque no DataModule. Defina Name como dsCidade e em DataSet selecione queCidade. Resumindo, fizemos a conexão com o banco de dados usando SQLite3Connection, em seguida definimos um componente para controlar as transações, definimos uma conexão com uma tabela do banco usando TSQLQuery, e criamos uma ligação entre a tabela e os componentes que terão a função de ler os campos dessa tabela usando TDataSource. Esse é um procedimento repetitivo para novas tabelas nessa aplicação e mesmo quando usarmos outros conjuntos de componentes. O DataModule terá essa aparência, já com os componentes para acesso à tabela Cliente.


Repita os mesmos passos para a tabela Cliente, inserindo mais um TSQLQuery e um TDataSource. Selecione o form principal e, no editor de código, digite abaixo de Implementation:

uses u_dmdados;

Localize o evento OnShow na aba Eventos do Inspetor de objetos.  Dê um duplo clique à direita e digite:

dmDados.dbCliente.Open;

Assim, sempre que o programa for iniciado a conexão com o banco de dados será aberta.

Form de Cidade

Insira um novo form na aplicação. Ele será desenhado para fazer as atualizações na tabela Cidade. Defina o Name do form como frmCidade e o Caption como Cidades. Salve a unit e defina seu nome como u_cidade. O desenho deste form deve ter a seguinte aparência.

 

Antes de começar a desenhar a janela, acesse o código da unit e insira o seguinte código abaixo de Implementation

uses u_dmdados;

Isso permite que esta unit acesse os objetos do DataModule.
Pegue um componente TPanel na aba Standard e coloque no form. Defina a propriedade Align como alTop. Exclua o conteúdo de Caption. As propriedades BevelInner e BevelOuter são usadas para definir contornos para o painel. Deixe, por exemplo, como bvLowered e bvRaised respectivamente.
Agora selecione um TDBNavigator na aba Data Controls e o coloque no form sobre o painel. Na propriedade DataSource do navegador selecione dsCidade.
Dessa mesma aba selecione TDBEdit e coloque dois deles no form. No primeiro defina Name como edIdCidade, em DataSource selecione dsCidade e em DataField digite ID_CIDADE. Essa última atribuição irá provocar um erro, mas isso não vai interferir no resultado. No segundo TDBEdit defina Name como edNome, DataSource como dsCidade e em DataField digite NOME. Selecione TLabel na aba Standard e coloque um à esquerda de cada TDBEdit para identificá-los. Defina suas propriedades Caption como ID e Nome, respectivamente. Para finalizar o desenho coloque um TSpeedButton da aba Additional sobre o painel. Defina Name como btnSair e escolha um ícone apropriado para ele usando a propriedade Glyph. No evento OnClick deste botão digite:

Close;

É necessário programar a abertura e o fechamento da Query no form. A abertura será programada no evento OnShow e o fechamento será programado no evento OnClose, ambos de form. Com o form selecionado selecione da aba Eventos no Inspetor de Objetos. Localize o evento OnShow, dê um duplo clique na caixa à direita e digite o seguinte:

dmDados.queCidade.Open;

Faça o mesmo para o evento OnClose e digite:

dmDados.queCidade.Close;

Agora precisamos programar a chamada do form frmCidade a partir no form principal. Selecione o form principal, mude para o editor de código e digite abaixo de Implementation:

uses u_cidade;

Volte para o form e clique no menu Cadastros -> Cidades. No editor de código digite:

frmCidade.Show;

Se você compilar e executar o programa verificará que não consegue ainda inserir dados na tabela Cidade. Todos os dados que são inseridos ficam em cache. É necessário enviar os dados para o banco e finalizar a transação.
Isso será feito no evento AfterPost da Query. Este evento ocorre após um registro ser gravado no banco. Selecione o DataModule e em seguida queCidade. Clique na aba Eventos do Inspetor de Objetos. Localize o evento AfterPost, dê um duplo clique à direita dele e digite o seguinte:


Vamos esclarecer o código:
linha 42 - declara um TBookMark, que é um ponteiro para um registro.
linha 45 - try, juntamente com except consiste em um tratamento de exceção. Se algo falhar no bloco try, o código em except é executado.
linha 46 - guarda o ponteiro do registro atual.

linha 47 - envia para o banco de dados o que estiver no cache.
linha 48 - verifica se existe uma transação ativa.
linha 50 - executa um COMMIT no banco, mas mantém a transação aberta.
linha 51 - desvia para o ponteiro salvo na linha 46.
linha 54 - executa um ROLLBACK se algo sair errado no bloco try.

Localize o evento AfterDelete da Query. Clique no botão da caixa à direita para selecionar um método existente. Selecione queCidadeAfterPost. Assim reaproveitamos o código que executa a mesma operação necessária no AfterDelete.
Compile e execute o programa. No post seguinte daremos seguimento ao desenvolvimento dessa aplicação.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Aventurando-se no Linux - VirtualBox

Sou um remanescente do bom e velho sistema operacional (SO) MS-DOS. Tudo era feito através de linha de comando semelhante ao que é feito no Linux, mas devo confessar que a cada vez que eu vejo os procedimentos para instalar um programa no Linux eu fico cansado e desisto até de continuar lendo o tutorial. Eu uso o Windows, mesmo com todos os problemas, devido a facilidade com que eu consigo instalar um programa. É só clicar em Instalar, Próximo, Próximo ... e Finalizar. Para um sujeito preguiçoso como eu não tem coisa melhor.
Bem, o que eu queria mesmo era utilizar os recursos do Cross Compiler do Lazarus. Recurso muito interessante que permite que você gere um executável para Windows a partir de uma instalação Linux, por exemplo. Em tese é possível gerar para qualquer sistema estando em qualquer um outro. Gostaria de pode criar executáveis Linux estando no Windows, mas não encontrei informação clara que me ajudasse. Em http://wiki.freepascal.org/Cross_compiling/pt#De_Windows existe algo um pouco confuso, e não tentei nada seguindo essas informações. Decidi então encarar uma instalação Ubuntu e depois o Lazarus. Para poder continuar usando o Windows e alternar entre um e outro SO, eu optei por instalar um software de virtualização. Após alguma pesquisa me decidi pela VirtualBox da Sun, que hoje é Oracle. Distribuida sob licença GPL, roda em Windows, Linux, Macintosh e OpenSolaris. Depois de instalar o VirtualBox, criei uma máquina virtual (VM). Podemos criar mais de uma e instalar vários SOs num mesmo micro. Em seguida instalei o Ubuntu a partir de um CD. Não é necessário instalar nenhum driver, o que é um alívio. Quando você instala a VM, ela instala um cartão de rede virtual e seleciona o modo NAT (Network Address Translation). Dessa forma o sistema guest (Linux no meu caso) pode acessar a Internet através de uma conexão do sistema host (Windows no meu caso). Instalei o VirtualBox Guest Additions. Isso possibilita alguma melhoria em vídeo, pastas compartilhadas entre host e guest, etc. Bem, até agora não consegui compartilhar uma pasta entre os dois SOs. Vejam na figura abaixo a VM executando na área de trabalho do Windows.

Agora eu já tinha um Linux rodando e precisava instalar o Lazarus. Não foi difícil encontrar dicas de como fazer isso. Em http://sites.google.com/site/silvioprogbs/documentos tem algumas coisas interessantes. Até que não deu muito trabalho. E dá-lhe baixar pacotes e mais pacotes dos quais o Lazarus e o FreePascal dependem para rodar. Confesso que fiquei bem animado quando terminou tudo, executei o Lazarus e ele compilou e executou um programinha simples. Bem, dai eu fui para um teste mais rigoroso. Copiei o programa Editor que criei nos posts anteriores para dentro da VM, abri o Lazarus e o compilei. Executou sem problema. Vejam ai a tela do programa rodando na VM.
Este post não é um tutorial de como instalar uma VM, dada a sua simplicidade. É mais para compartilhar minha experiência. No entanto se alguém se interessar pelo assunto gostaria de trocar idéias. Preciso compartilhar uma pasta entre os dois SOs e ainda não consegui e, claro, explorar mais recursos disponíveis.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Lazarus - Barras de ferramentas e de status

Vamos continuar usando a aplicação criada no post anterior. Agora vamos acrescentar uma barra de ferramentas e de status e mostrar também como implementar menus locais, chamados de pop-ups.

Barra de Ferramentas

Selecione a aba Common Controls na paleta de componentes. Pegue um TToolBar e coloque no form. Não precisa se preocupar com a posição, o Lazarus sabe exatamente onde fica uma barra de ferramentas e já a posiciona corretamente. Vamos dar o nome (Name) de tbaPrincipal ao componente. Nossa ToolBar terá botões para alterar as cores e o alinhamento do texto. Exatamente as mesmas opções do menu. Para inserir os botões, clique com o botão direito e selecione New Button. Insira dois botões. Em seguida insira um separador, selecionando New Separator. Após isso insira mais três botões.

ImageList

Para definir imagens para os botões devemos usar o componente TImageList. Pegue um desses na própria aba Common Controls e dê a ele o nome imlPrincipal. Depois de por no form - em qualquer posição - clique com o botão direito nele e selecione Editor "Image List". Clique no botão adicionar e selecione um ícone apropriado para cada botão. Depois disso selecione o ToolBar, vá na propriedade Images e selecione imlPrincipal. Clique então em cada botão e defina na propriedade ImageIndex qual o índice do ícone que você deseja para ele. O índice do primeiro botão do ImageList é 0. Nosso form deve estar com a aparência da figura abaixo, dependendo claro dos ícones que você escolheu para os botões.

 

Vamos então programar os eventos OnClick de cada botão. Neste caso iremos simplesmente reutilizar os códigos dos eventos OnClick das opções de menu correspondentes. Para fazer isso clique no primeiro botão e no Inspetor de Objetos selecione a aba Eventos. Em vez de dar um duplo clique no evento, apenas clique na caixa e localize o procedimento mnuCorTextoClick. Selecione-o. Pronto, agora a opção de menu Cor do Texto de o botão da barra de ferramentas têm o mesmo código no evento OnClick. Repita o procedimento para os demais botões.
Observe que no menu foi criada uma opção Visualizar -> Barra de ferramentas. Essa opção permitirá visualizar/ocultar a ToolBar. Dê um clique nessa opção para abrir o editor de código no procedimento OnClick e escreva:

tbaPrincipal.Visible := not tbaPrincipal.Visible;
mnuBarraFerramentas.Checked := tbaPrincipal.Visible;


Dê um duplo clique no MainMenu e selecione Barra de ferramentas. Localize a propriedade Checked e mude-a para True. Como sempre que abrimos o programa a ToolBar está visível, então deixamos a opção de menu marcada. Note que a opção Visualizar -> Barra de ferramentas funciona como um CheckBox.

Barra de Status

A barra de status é usada para apresentar inúmeras informações ao usuário. Pode mostrar mensagens, a data e hora atuais, dicas, etc. O Lazarus possui um componente para essa finalidade. Na paleta de componentes vá até a aba Common Controls, selecione o componente TStatusBar e o insira na nossa aplicação. Não importa onde você insere o StatusBar, o Lazarus sempre o posiciona na base da janela. Mude a propriedade Name do componente para stbPrincipal.
Uma barra de status pode ter vários painéis que agrupam informações relacionadas. Vamos dividir esta barra em dois painéis. Clique no botão elipse ao lado direito da propriedade Panels. Isso irá abrir o editor de painéis. Adicione dois painéis pressionando o botão Adicionar na parte superior do editor.
O Lazarus guarda as informações sobre os painéis do StatusBar em um array. O primeiro painel é chamado stbPrincipal.Panels[0] e o segundo stbPrincipal.Panels[1]. Cada painel é um objeto do tipo TStatusPanel. Portanto possui propriedades e métodos. Mantenha o editor de painéis aberto. Clique no primeiro painel e digite Desenvolvido por João da Silva. Altere a propriedade Width para um valor conveniente, 300 por exemplo.
No segundo painel mostraremos a hora atual. Esta informação deve ser mostrada de forma dinâmica. Para isso será usado o componente TTimer que se encontra na aba System. Esse componente tem um evento chamado OnTimer que ocorre em intervalos de tempo que são definidos pela propriedade Interval. Por padrão o intervalo é de 1000 milissegundos. Coloque esse componente em qualquer posição no form e altere a propriedade Name para timHora. Deixamos Interval como está pois o evento ocorrerá exatamente a cada segundo.

Selecione a aba Eventos e dê um duplo clique o evento OnTimer. Escreva o seguinte código:

stbPrincipal.Panels[1].Text := TimeToStr(Time);

Esse código converte para string a hora atual devolvida por Time e a atribui à propriedade Text do segundo painel. Lembre que esse código é executado a cada segundo, mantendo a hora no painel sempre atualizada.

Menu local

Nas aplicações Windows é comum haver menus locais ativados com um clique no botão direito do mouse. O menu que é mostrado geralmente depende do local onde o mouse é clicado. Esses menus agrupam opções relacionadas com o elemento da interface que está selecionado. São mais rápidos que o menu estudado anteriormente porque não necessita que o mouse seja movimentado para ativá-lo.
Para adicionar um menu local a um form, selecione o componente TPopupMenu na aba Standard e o insira no  form em qualquer posição. Altere a propriedade Name para popAlinhamento. Dê um duplo clique no componente e insira as opções: Esquerda, Centro e Direita. A maneira de inserira as opções é semelhante ao que fizemos para o MainMenu. Ou seja, queremos um menu local com as mesmas opções referentes ao alinhamento do texto do MainMenu que criamos.
Ainda com o editor de menus aberto, clique na opção Esquerda. Selecione a aba Eventos e no evento OnClick selecione o procedimento mnuEsquerdaClick. Proceda de forma semelhante para as outras duas opções. Ou seja, reutilize o código, visto que é exatamente o mesmo.
Selecione o Memo e na propriedade  PopupMenu selecione popAlinhamento. Esta é a maneira de associar o menu local a um componente. Execute o programa, teste todas as funcionalidades implementadas.

A partir do próximo artigo falaremos de aplicações de banco de dados usando o Lazarus. Até lá.
 
Creative Commons License
This work by Carlos Alberto P. Araújo is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Brasil License.