Páginas

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Aventurando-se no Linux - VirtualBox

Sou um remanescente do bom e velho sistema operacional (SO) MS-DOS. Tudo era feito através de linha de comando semelhante ao que é feito no Linux, mas devo confessar que a cada vez que eu vejo os procedimentos para instalar um programa no Linux eu fico cansado e desisto até de continuar lendo o tutorial. Eu uso o Windows, mesmo com todos os problemas, devido a facilidade com que eu consigo instalar um programa. É só clicar em Instalar, Próximo, Próximo ... e Finalizar. Para um sujeito preguiçoso como eu não tem coisa melhor.
Bem, o que eu queria mesmo era utilizar os recursos do Cross Compiler do Lazarus. Recurso muito interessante que permite que você gere um executável para Windows a partir de uma instalação Linux, por exemplo. Em tese é possível gerar para qualquer sistema estando em qualquer um outro. Gostaria de pode criar executáveis Linux estando no Windows, mas não encontrei informação clara que me ajudasse. Em http://wiki.freepascal.org/Cross_compiling/pt#De_Windows existe algo um pouco confuso, e não tentei nada seguindo essas informações. Decidi então encarar uma instalação Ubuntu e depois o Lazarus. Para poder continuar usando o Windows e alternar entre um e outro SO, eu optei por instalar um software de virtualização. Após alguma pesquisa me decidi pela VirtualBox da Sun, que hoje é Oracle. Distribuida sob licença GPL, roda em Windows, Linux, Macintosh e OpenSolaris. Depois de instalar o VirtualBox, criei uma máquina virtual (VM). Podemos criar mais de uma e instalar vários SOs num mesmo micro. Em seguida instalei o Ubuntu a partir de um CD. Não é necessário instalar nenhum driver, o que é um alívio. Quando você instala a VM, ela instala um cartão de rede virtual e seleciona o modo NAT (Network Address Translation). Dessa forma o sistema guest (Linux no meu caso) pode acessar a Internet através de uma conexão do sistema host (Windows no meu caso). Instalei o VirtualBox Guest Additions. Isso possibilita alguma melhoria em vídeo, pastas compartilhadas entre host e guest, etc. Bem, até agora não consegui compartilhar uma pasta entre os dois SOs. Vejam na figura abaixo a VM executando na área de trabalho do Windows.

Agora eu já tinha um Linux rodando e precisava instalar o Lazarus. Não foi difícil encontrar dicas de como fazer isso. Em http://sites.google.com/site/silvioprogbs/documentos tem algumas coisas interessantes. Até que não deu muito trabalho. E dá-lhe baixar pacotes e mais pacotes dos quais o Lazarus e o FreePascal dependem para rodar. Confesso que fiquei bem animado quando terminou tudo, executei o Lazarus e ele compilou e executou um programinha simples. Bem, dai eu fui para um teste mais rigoroso. Copiei o programa Editor que criei nos posts anteriores para dentro da VM, abri o Lazarus e o compilei. Executou sem problema. Vejam ai a tela do programa rodando na VM.
Este post não é um tutorial de como instalar uma VM, dada a sua simplicidade. É mais para compartilhar minha experiência. No entanto se alguém se interessar pelo assunto gostaria de trocar idéias. Preciso compartilhar uma pasta entre os dois SOs e ainda não consegui e, claro, explorar mais recursos disponíveis.

2 comentários:

Silvio Clécio • Blog disse...

E aí Carlos,

Na época que comecei a testar o Linux eu não conhecia o Vbox, daí era no velho dual boot, um saco.

Bom, o tempo foi passando e eu fui pegando amor pelo Linux, em especial o Ubuntu, que hoje na sua versão 9.10 tem muito aplicativos no estilo Próximo...Próximo...Finalizar :) Eu não consigo mais voltar a usar Windows (XP) como SO padrão no HD, hoje ele fica virtualizado numa VM, e é onde eu faço os testes para coisas win32.

Cara, só em você estar testando o Linux, mesmo virtualizado, já é um avanço, ainda existem algumas pessoas que nunca testaram o Linux e dizem que é um SO ruim, mentira ;P.

A única falta de pacote M$ que sinto é do Office; bom, estou me adaptando ao BrOffice, mas já estão "soltando" um "emulador" para rodar o pacote original do Office, resta esperar se a M$ vai aceitar isso, pois tecnologia para executar a proeza já existe (não é WineHQ). Quem sabe eu não volte a usar uma cópia 'free' do Word 2007. :D

Olha só quem esta estilo Next...Next...Finally: http://blog.silvioprog.com.br/2010/01/instalando-o-postgresql-no-ubuntu.html

Valeu Prof., abraços e até mais,

Silvio Clécio

Anônimo disse...

Olá!

O VirtualBox é uma maravilha, mas é um pouco complicado para usuários leigos ou "Preguiçosos" igual a mim; He...He...He...He..., eu usava o Virtual Pc da MS, é mais fácil de usar.

Só que o maior problema do virtual box, é que o mesmo não é claro quanto aos seus arquivos "Máquias Virtuais", no Virtual pc eu só copiava os arquivos quando precisava fazer algum tipo de formatação, backup etc.. no VirtualBox não consiguo de forma clara ai perco todas as máquinas porque ele não reconhece, se tiver uma forma de usá-lo me avise.


Atenciosamente

Marcos Paulo dos Santos
(Técnico em Informática)

UnitSÿs
Technologies

Cel: (014) 9796-3919
E-mail: unitsys@unitsys.biz
Skype: mps_inf@hotmail.com
Weblog: http://unitsys.biz/

 
Creative Commons License
This work by Carlos Alberto P. Araújo is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Brasil License.