Páginas

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Múltiplas habilidades

Até o ano de 2005 a principal linguagem de programação estudada no curso de Sistemas de Informação do Centro Universitário Luterano de Santarém era Pascal. Além de Pascal, alguns outros paradigmas eram estudados brevemente na disciplina Paradigmas de Linguagens de Programação, e C++ um pouco mais profundamente abordado em linguagem de Programação Orientada a Objetos. Há muito vinha sendo discutido nas reuniões do colegiado a inclusão de Java como a principal linguagem do curso. Sempre se colocava em pauta a dificuldade que os alunos teriam com o novo paradigma como um obstáculo à concretização da idéia. Observa-se que aos alunos serem apresentados a um paradigma, eles se fecham para todos os outros. Essas dificuldades eram sentidas quando se iniciava o estudo de C++. Enfim, a partir do ano de 2006, Java foi implantada como linguagem a ser estudada nas disciplinas iniciais do curso. Um excelente trabalho foi realizado como forma de disseminar a linguagem entre os membros da comunidade acadêmica do curso, principalmente com a criação do projeto de extensão Java & Eu. O que se constata agora é a resistência oferecida pelos acadêmicos ao serem apresentados a uma nova linguagem para eles, principalmente Pascal. A seguir serão apresentados argumentos que justificam o estudo de Pascal, além de Java, no curso de Sistemas de Informação.
O curso de Sistemas de Informação tem como objetivo formar profissionais que estejam aptos a avaliar, dimensionar e selecionar recursos de tecnologia da informação de acordo com as necessidades específicas de uma organização. Esta é apenas uma das habilidades que deve ter o egresso do curso, além de outras. Assim, o curso deve prover aos acadêmicos diversas abordagens sobre uma mesma matéria de forma que eles estejam preparados para oferecer opções diferenciadas às empresas onde venham prestar serviço. Em conseqüência disso, no caso de linguagens de programação, o curso oferece o Delphi como ambiente para desenvolvimento de software comercial. Sendo o Delphi baseado na linguagem Object Pascal, é natural que essa linguagem também seja utilizada em algumas disciplinas, para preparar os alunos para o estudo de Delphi em Linguagem de Programação Comercial. E por quê Delphi? Por quê não VisualBasic? Se as duas linguagens (ObjectPascal e Basic) em que se baseiam os ambientes forem analisadas sob o aspecto de orientação a objetos a conclusão que se chega é que a abordagem de ObjectPascal é mais eficiente, principalmente quando se trata de herança. Apesar de Basic ser mais simples de ser aprendida que ObjectPascal, deve-se pensar em desenvolvimento em equipe, quando a orientação a objetos é fundamental, devido principalmente à reutilização de código. Ambas estão no grupo das chamadas Rapid Application Development (RAD), o que as tornam as mais populares para o desenvolvimento voltado para ambientes GUI (Interface Gráfica do Usuário). Segundo o índice TIOBE de setembro/2008 a linguagem Delphi é a décima mais popular do mundo. Ao se observar a lista, verifica-se que, Java é a primeira, VisualBasic a quarta e Delphi a décima. VisualBasic é mais popular que Delphi por ser a linguagem da Microsoft e não porque é melhor. As outras linguagens, pela nossa avaliação, não se enquadrariam no que se chama linguagem comercial e visual, e portanto ficam fora dessa discussão. De qualquer forma a opção por uma linguagem para desenvolver um sistema deve levar em consideração as necessidades do cliente. É uma decisão de projeto. Espera-se ter contribuído para justificar o estudo de mais de uma linguagem de programação no curso de Sistemas de Informação e também o porquê da opção pelo ambiente Delphi.

Nenhum comentário:

 
Creative Commons License
This work by Carlos Alberto P. Araújo is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Compartilhamento pela mesma licença 3.0 Brasil License.